farejando por aí

Standard

Dizem que o peixe morre pela boca. Nem sempre é verdade, já pesquei muito bagre pela barriga. Mas de maneira geral, peixe morre, sim, pela boca.

Já o guloso come pelos olhos. E pode acabar morrendo pela boca.

Não sou exatamente gulosa, mas certos aspectos e cheiros me fascinam.

Já cai de boca num sabão de coco. Não os sabões de hoje, com cheiro que só com muita boa vontade remete ao coco, mas os da minha infância. O cheiro era tão bom, mas tão bom, que eu resolvi dar uma grande mordida.

Fiz como disse aquele: fumei mas não traguei. Mordi mas não engoli, porque se o cheiro era divino, o gosto não correspondia.

Também já dei minhas lambidas em naftalina. Eu amo o cheiro de naftalina. Só lambi, porque naftalina é pior do que sabão de coco.

Como não amar naftalina, se minha avó botava em todos os baús em que ela guardava aquelas coisas incríveis que eu gostava de brincar? Meu pai também botava nas estantes de livros. E os baús de casa, mais as estantes de livros eram tudo que eu mais amava. A paixão se alastrou pra naftalina também. Eu ponho até hoje em armários. Só não lambo mais.

Já bebi baunilha. Uma droga. Não sei como deixa os bolos e cremes tão gostosos. Mais um caso de cheiro enganoso.

Há outros cheiros enganosos, mas esses não tão letais.

Cheiro de uísque. Gosto mas o gosto é quase tão ruim quanto o de baunilha.

Cheiro de churrasco. Bom. De longe. Bem de longe.

Cheiro de pipoca. Acaba com a qualidade de qualquer filme. Deviam baixar uma lei qualquer que impedisse a pipoca amanteigada no cinema. Qualquer filme de arte vira filme B, daqueles nauseantes. E a trilha sonora que acompanha faz jus.

Mas há os cheiros bons. Cheiro de pizza eu percebo ao longe. Já achei pizzaria assim, pelo cheiro. Pena que pra mim é de consumo restrito.

Cheiro de pão quente. Por pior que seja a padaria, na hora do pão fresco o cheiro é delicioso.

Cheiro de caramelo. Cheiro de torta de maçã.

Todos bem proibidos.

Ainda bem que meu carrasco particular, o Dr. Fred, não me proibiu cheirar.

Estou falando de alimentos. Mas tem certas ervas que adoro o cheiro.

Ainda falando de alimentos. Pensaram o quê?

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *