receitas para sobreviver ao calor

Standard

 

dolce vita

 

Nem sempre fui calorenta.

Ao contrário, quando nova era extremamente friorenta, daquelas de levar coberta pra praia no fim de tarde por não aguentar o ventinho. De tiritar tanto no frio que os dentes doíam de tanto bater uns nos outros, involuntariamente.

Isso passou. Depois dos 50, mais ou menos. Deixei de fumar, perdi meu pai, aprendi a dançar, entrei na menopausa e voilá: fiquei calorenta pra sempre.

Então, como já se passaram alguns aninhos dessa data fatídica, aprendi uns truquezinhos:

– molhar o corpo (não tomar banho, só molhar na torneira, com as mãos) e ficar na frente de uma janela com vento. Tomar um certo cuidado pra não ser flagrada por algum vizinho, principalmente se morar em andares baixos. Ou não, se você for do tipo exibido.

Se não tiver vento, ligar um ventilador na sua frente. Nesse caso, pode fechar a janela.

Ou não, se você for do tipo exibido.

-Usar uma bolsa de gelo ou mesmo um simples cubo de gelo e ficar passando pelo corpo. Incrível o poder de dissipação do calor com gelo passado dessa forma. Depois de um tempinho, você estará fresca até o pé.Esse método pode ser feito a dois, aquela história do “eu passo em você e você passa em mim”. Tem efeitos colaterais que podem provocar mais calor ainda, mas não é de todo mau.

-Usar um ventilador de teto, de pé ou daqueles verticais, meus preferidos. Todos são barulhentos, mas ou bem você se refresca ou bem você quer silêncio. Os dois juntos não dá.

– Ar condicionado: maravilha se você tiver. Eu tenho. Mas tenho também uma rinite lascada, que me faz perder a voz e ficar tossindo com ar condicionado. Então eu começo a noite com ele ligado e acordo logo depois, tossindo sem parar e levanto pra desligar. Aí passo calor e não durmo. Aí ligo e durmo e acordo logo depois tossindo sem parar. Aí…bom, vocês entenderam.

-Leque. Leque é um dos meus métodos preferidos. São lindos, não gastam energia a não ser a sua e vamos combinar que perder umas calorias todo mundo precisa, podem combinar com a roupas, são charmosos, unissex, portáteis. Tenho um em cada bolsa. Mato as pessoas de inveja no ônibus ou no metrô com meu leque.

-Pouca roupa. Refresca mas nem tente cruzar as pernas que fica um grude só. Pouca roupa só é bom dentro de casa, onde pode chegar até a roupa nenhuma. E ande de pernas abertas. Não é elegante, mas melhora um pouco.

E, finalmente, reze bastante e confie que o verão acaba.

Demora uns meses mas acaba.

Acaba?

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *