achados e perdidos

Standard

1389033920_585295194_1-Fotos-de--Livro-A-fogueira-das-vaidades

 

Outro dia achei uma caneta que tinha dado por perdida numa bolsa de festa. Tudo bem, todo mundo acha canetas em bolsas.

Mas ontem achamos, no forro da casa, onde estão restos de materiais usados nas reformas, tipo azulejos e pisos, uma mesa de passar embrulhada em plástico bolha. E agora? Diz aí, quantos de vocês já acharam tábuas de passar roupa no teto??

Já achei uma banana passa mais passa do que nunca em momento de pura fome, congestionada no trânsito. Não, a banana não estava congestionada. Quem estava era eu que, morrendo à míngua, resolvi fuçar no porta luvas e achei a tal banana passa. De séculos passados, mas caiu muito bem.

Achei também nestas arrumações pré-mudança, um livro de um amigo. Deve haver outros livros, de amigos e nem tão amigos, perdidos neste emaranhado de livros, revistas e coleções que andamos encaixotando. Livro pra mim é como caneta Bic. Não tem dono. É de quem gosta e/ou precisa. Por isso não gosto de emprestar livros. Sei que relutam em voltar e como pessoa rancorosa que sou, acabo perdendo o amigo.

Mas achei esse, do Tom Wolfe. Lembrei que discuti com meu amigo que já tinha devolvido, que ele não estava mais comigo há anos. E fui honesta. Pelo menos conscientemente. Eu jurava por tudo que tinha de mais sagrado, que tinha devolvido.

Achei o livro aqui nas estantes.

Gosto demais desse amigo pra me fazer de Miguel. Liguei pra ele, pedi desculpas e propus a devolução.

Joga fora, disse ele.

Não sei se esse “joga fora”  quer dizer que agora já é tarde pra pensar em devolução, se esse  “joga fora” é a frase do amigo que quer me facilitar a vida, se esse “joga fora” é uma expressão de animosidade.

Espero que não.

Mas joguei fora (pra doação) o tal livro, efetivamente

Esqueci de devolver, mas não esqueci que detestei o livro.

Fogueira de vaidades, era o nome.

Espero não haver aí nada de simbólico.

E agora vou até ali, encaixotar mais uns CDs e volto. Que ninguém me apareça pedindo devoluções.

CD é que nem livro. Que nem caneta BIC. Que nem c..de bêbado.

Não tem dono.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *