os caras vivem dizendo coisas

Standard

O cara que disse que o inferno são os outros devia ser um cara bem cheio de problemas.

Por outro lado o cara que disse que nada do que era humano lhe era estranho, sabia bem  do que vou falar.

Eu sou humana. Você é humano e até minhas cachorras, do ponto de vista familiar, são humanas. Moram, comem, necessitam carinhos e cuidados como qualquer outro membro da família. Mas só desse ponto de vista porém, que eu ainda acho que cachorro é cachorro e gente é gente. Por enquanto.

Mas eu, como todo ser humano e como todo LP de antigamente ( aquelas bolachonas de vinil, achatadas, que postas numa coisa chamada vitrola tocavam música) tenho meu lado B.

Aquele lado feio, maléfico até, aquela vontade de sair matando todo mundo que me fecha no trânsito, aquela vontade de dizimar toda a fila do banco na minha frente, enfim, vocês sabem do que estou falando.

E tenho meu lado bom, aquela paciência em certas horas, aquela solidariedade em outras.

Nós, seres humanos somos assim.

O cara que rouba, o cara que mata, o cara que corrompe, ele também é humano. Um humano que em algum momento se deixou levar pelo seu pior lado. Deixou de pensar no outro como igual e passou a ver o outro como fonte de recursos e de prazer. E só.

Para esses, os em que o lado B levou a melhor, a gente não é outro. A gente é coisa. Coisa que se usa, se mata, se descarta, se abusa.

O que segura nossa onda? O que define nosso lado prioritário?

Muitas coisas. A moral, a cultura, a ética. Valores universais, não necessariamente religiosos. Aliás, acho melhor que não sejam, estes valores, atrelados a nenhuma religião. São valores que perduraram por séculos e fizeram perdurar nossa espécie. A misericórdia não precisa ser divina. A caridade não precisa ser cristã. Basta a elas serem humanas.

E aos humanos, basta a eles se entenderem iguais. Nos bons e nos maus momentos. No bem e no mal. E na infinitude de gradações que vão de um a outro lado.

Porque aí, aí eu me apiado. Aí eu entendo, aí eu cuido.

Nada do que é humano me deve ser estranho. Se e enquanto eu continuar sendo humano.

Se não, bom, se não melhor nascer cachorro numa próxima encarnação e torcer pra cair numa família carinhosa.

 

One thought on “os caras vivem dizendo coisas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *