muda mesmo?

Standard

Minha bisavó era cega. Catarata.

Meu tio apanhou de cinto e era amarrado em árvores por mijar na cama. Enurese noturna.

Minha prima , tão linda, mal sorria por ter lábio leporino. Fez plástica. Aquela cicatriz enorme na boca, ela continuou mal sorrindo e sorrindo mau.

Meu outro primo tinha hemofilia. Morreu de aids. Criança ainda.

A ciência avançou muito nestes anos. Catarata hoje é coisa relativamente simples. Enurese noturna é fácil de cuidar, a cirurgia plástica brasileira é hoje das melhores e contaminação por transfusão tem diminuído muitíssimo.

Mas a discriminação que minha bisa sofria por ser cega, os castigos em crianças por pais ignorantes, o preconceito que rola contra tudo que foge aos padrões, isso parece não ter cura.

Não sei se é medo do diferente, se é crueldade pura e simples. O homem muda por fora.

Mas parece que só por fora.

5 thoughts on “muda mesmo?

  1. As mudanças internas são muito particulares, revelam as competências e qualidades de cada um dentro desse processo civilizatório tão irregular. A maioria vai tão devagar que quase não se transforma.

  2. Oi. Sou eu, a Bípede Falante, vim te convidar para ser autora no blog Mínimo Ajuste. Não sei se você o conhece. Eu o criei em fevereiro para autores de outros blogs postarem comigo sobre qualquer coisa, para aumentar o trânsito de ideias e ampliar os laços de amizades. Se você se interessar, envie um email para o minimoajuste@gmail.com que envio a permissão. Seria uma honra te ter conosco lá.
    Beijo. Bípede
    http://www.minimoajuste.blogspot.com

  3. Marília: nem diria que é desânimo. É realismo. Se eu desanimasse, eu desistia.

    Bípede: agradeço muito o convite e creia, a honra é minha. Mas nunca assumo nada que não possa dar conta. E no momento, dar conta deste blog já está difícil. Beijos!

  4. Alguém tentou me explicar, uma vez, que a tendência de menosprezar ou mesmo maltratar pessoas com algum tipo de deficiência, derivaria da tal seleção natural, onde os indivíduos menos preparados seriamo devorados por chacais carnívoros. E que isso aconteceria em todo o reino animal. Mais, que em algumas espécies as próprias mães abandonariam os filhos nascidos imperfeitos.

    Apesar de ter passado muito tempo desde que ouvi essa teoria, ainda não me convenci de que ela se aplicaria à irracionalidade ou ignorância humana. O certo é que me causa repugnância ver alguém ser maltratado apenas por ser diferente. Infelizmente nada mais me assusta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *