eleições

Standard

Sou do tempo em que partidos políticos eram um simulacro irônico. Arena e MDB. Sou a favor ou sou contra.

Depois, pouco a pouco, começaram a se formar partidos. Participei do primeiro e talvez o único que pudesse receber tal denominação, após esse período. Eu acreditava e acredito ainda que fazer política partidária seja uma das mais ricas experiências. Não a única forma de fazer política, claro que não, mas uma das mais ricas.

Mas não pode ser só da vontade individual, assim como quem acorda de manhã e diz: hoje vou usar a blusa amarela. Não é assim. Um partido significa um conjunto de regras, de idéias, de princípios. Tem que ter ética (que vai muito além do que se chama ética partidária), tem que ter ideologia, tem que ter projeto para o país, a cidade, para o cidadão.

Esses projetos não precisam, não são e nem devem buscar ser gerais. Ninguém agrada todo mundo todo o tempo. Por isso os partidos são chamados de partidos. Representam um conjunto de idéias e não Todas as idéias. Um conjunto que representa outro conjunto: o de parcela da população que acredita nelas.

E se você tem princípios morais e éticos, sabe que tuas idéias não são as únicas. Sabe que o respeito e o debate entre elas é que determinará um caminho para a nação. O governante eleito não pode ser mais o líder partidário. Deve dialogar, de forma a buscar ser o mais representativo. Deve respeitar. Deve interagir.

Gosto de partidos. Acho que devem existir. Não faço mais hoje política partidária, mas sou cidadã consciente.

Não preciso de papeizinhos na rua pra votar neste ou naquele. Sei que em todos os partidos tem gente razoável, com princípios, com idéias boas e gente desonesta, que entende a política como profissão individualista, com objetivo maior de ganhar dinheiro, o seu dinheiro, ou deveria dizer, o nosso dinheiro.

Tem gente assim.

Não voto neles. Não voto em quem promete, porque esse está de antemão renegando a discussão, a interação, o diálogo. Votarei em quem tiver conceitos éticos não só como político, mas como ser humano. Em quem respeitar idéias e não temê-las. Em quem não se arvorar em salvador. Em quem tiver em seu programa e seu projeto a transparência como meta, de forma a ser fiscalizado. Eu voto mas não esqueço meus votos.

Tá difícil, eu sei.

Mas ninguém disse que escolher alguém que nos represente seria fácil.

E só quem não viveu os anos da ditadura não imagina como é gostoso poder votar!!

Uma boa eleição, bem gostosa e participativa pra todo mundo!!

 

One thought on “eleições

  1. Me assusta como os partidos tornam-se obsoletos, como as ideias e ideais já não sejam tão comuns nem importantes, como a política acabou virando o maior business do mundo.

    Continuo votando em quem tem princípios éticos e propostas úteis, mas está cada dia mais difícil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *