álbuns de figurinhas

Standard

Tenho a impressão que desde que o mundo é mundo existiram  álbuns de figurinhas.

Meus irmãos, não sei bem qual deles, tiveram esses álbuns. Lembro de dois: um de jogadores de futebol, que nunca mereceu de mim qualquer atenção e outro de artistas de cinema.

Esse sim eu folheava, na época em que nem sabia ler ainda, pedindo pra alguém da família me dizer os nomes escritos e elegia meus favoritos.

Meus irmãos tinham mais de uma década de diferença de idade comigo, então embora todo mundo estranhasse quando eu afirmava “amar” Allan Ladd ou Gregory Peck, eu tinha lá meus motivos. Eu não ia a cinemas ainda, nem tínhamos televisão. Acho que a televisão mal surgia, naquela época. E afinal, quando ela surgiu, os filmes eram tão velhos que eu tinha todos os motivos do mundo pra adorar artistas de outras décadas.

Demorou um bocado pra eu me atualizar. Não tínhamos dinheiro pra “jogar fora” com álbuns de figurinhas, segundo meu pai. E eu não gostava nada de jogar “bafo”, além de ser péssima no jogo. Uma coisa deve ser decorrente da outra. Até hoje eu detesto jogar coisas nas quais sou péssima. Perder me irrita.

Voltando aos artistas antigos, quando me atualizei, não sei por qual motivo, acabei por eleger meus favoritos dentre os artistas europeus. Godard fez minha cabeça. E Fellini, claro.

Vai daí, em matéria de televisão, eu hoje continuo fiel aos meus artistas da infância. Melhor dizendo, da infância de meus irmãos.

Não consigo deixar de assistir um western de Peck, até mesmo de Gable, aquele careteiro.

Acho que as coisas de infância marcam. E ficam.

Será que meus filhos vão lembrar, quando tiverem minha idade, das She-Ra  da vida, dos Smurfs, daquela cambadinha colorida toda?

E vocês, lembram de quem?

6 thoughts on “álbuns de figurinhas

  1. Ana Silvia

    Maray….é isso mesmo. Eu tb tenho irmãos uma década mais velhos e curti mto as coisas da outra geração.

    E te conto….minha paixão era Bonanza….rsrs

  2. Somos sempre seres datados… e as maiores recordações são sempre as da adolescência e as dos 20 anos… pois foram as primeiras “aquisições” e essas é que nos marcaram para sempre!

  3. Oi, Maray.
    Tive muitos albuns de figurinhas, na minha infância. Não os de jogadores de futebol, cujas figuninhas vinham enroladas em balas. Meus pais diziam que as balas estragavam os dentes! Mas, figurinhas compradas em jornaleiros e que vinham em pequenos envelopes. Lembro-me de personagens da Disney. Quanto zaos artistas de minha época dos vinte anos… Bom, a Doris Day. Até hoje gosto de rever seus filmes e ouvir suas músicas.
    Abração.

  4. Sílvia: lembra que a gente se dividia em turmas, em relação a Bonanza? Acho que eles eram 3 ( mais o pai) e havia uma turma de apaixonadas para cada um deles…

    MFC: eu lembro mais das coisas de 10 anos pra baixo. Infelizmente, lembro bem das coisas ruins também. Quisera só lembrar das boas!

    JF: Esses pais só fazem estragar nosso prazer…eu comprava balinhas horrorosas e jogava fora sem nem comer só porque junto vinha um anel de “rubi”, de pedra vermelhinha….nem sei o gosto daquelas balas!

    Alziro: jogador gatinho não tinha muitos, na época! O primeiro gatinho que eu achei foi justamente o Afonsinho, do Olaria. Além de bonitão, ainda era inteligente e acho que foi o primeiro jogador a ter direitos sobre seu próprio passe! Quase, quase, eu me torno torcedora do Olaria…mas meu coringão falou mais alto 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *