Caes e gatos, iguanas e ratos

Standard

Por que não aparecem nunca fotos nas redes sociais de outros pets?

Conheço gente que tem cobras. Gente que tem rato branco. Gente que tem iguana e gente que tem peixe. Ah, e um montão de gente que tem tartaruga.

Botam fotos no Facebook da vida? Não.

Botam fotos desse tipo de pets quando filhotinhos? Não.

Se enternecem ou trocam idéias sobre as gracinhas dos seus animais de estimação? Não.

Já tive tartaruga e sei do que estou falando: a gente chega em casa e o bicho, mesmo que tenha vontade – coisa que acho que não tem – não vem nos receber. A minha quando se dirigia ao portão eu já estava dentro uma pá de tempo. Muito depois vim a descobrir que ela se dirigia ao portão para fugir e não pra me receber. Até o dia em que conseguiu. Anos depois. Era muito lerda a Raquel, minha tartaruga.

Peixes nunca tive. Os que tive, se é que se pode chamar assim, foram por breves minutos, o tempo de tirá-los do anzol e levá-los pro churrasco. Peixinhos pequenos, pescados em rios ou represa. Do tempo em que eu comia coisas com olhos.

Os de aquário, essa coisa que deixa a gente meio idiotizado, quero dizer, hipnotizado, esses também só vêm  “receber” o dono quando a comida chega. Quando os donos viajam e deixam uma máquina fazendo o serviço, a recepção afetiva por parte dos peixes é a mesma.

Iguanas e cobras. Dizem que são afetuosas. Pode ser. Mas nunca vi ninguém babando por fotos de uma iguana filhote ou cobrinha recém-nascida.

Eu chego em casa e minhas cachorras já sabem antes de eu chegar. Conhecem o carro, mesmo quando a gente muda de carro. Adaptam-se antes da gente com o barulho do motor e a buzina. Conhecem o ranger da porta. Conhecem nosso cheiro. E conhecem a gente melhor do que a gente mesmo, em certas situações.

E são, sobretudo, afetuosos, de um tipo de afeto que a gente gosta. Lambem, acariciam, vêm para o colo, olham com olhos pidões. Tudo que a gente quer num amor de verdade.

Não é de estranhar então que um monte de gente carente de amores se entupa de animais de estimação.

Só fico imaginando como os donos de iguanas, cobras, aranhas e peixes interagem.

Mas no amor tudo é permitido e tudo é possível.

Como diz a música: toda forma de amor vale a pena.

Mas iguana…afffff!!

7 thoughts on “Caes e gatos, iguanas e ratos

  1. Maray,
    Você faz essa postagem bem na hora em que eu ia perguntar-lhe se você aceita um filhote de crocodilo? Desisti de oferecer.
    Bom, na verdade, dizem que existem outros animais que são tão afetuosos quanto os cães ou os gatos. Só que ainda não me contaram quais são. É porisso que continuo como dono apenas do Eddie Wood (Ed, para os íntimos), um cão beagle daqueles bem arteiros, independentes, comilões, desobedientes, etc., que fica me olhando com um olhar bem triste quando saio, mas me recebe calorosamente quando volto. É como se eu que fosse o cãozinho dele.
    Abração.

  2. Não sei se entendi: a Raquel fugiu? Mesmo com toda a lerdeza? Cê sabe que existe aquela descrição do executivo incapaz, né: ficou de tomar conta de duas tartarugas e as duas fugiram.
    Minha cadela, a Doga, é de uma incompetência brutal. Além de não trazer chinelos nem jornal, só pensa nela. Só quer saber de passear e de dormir. E, se a gente dá sopa, corre pra deitar em nossa cama.
    Mas, como você lembra, no amor…

  3. Bípede: mamute é ótimo. Iguana é que é péssima. Mas tem quem goste, como diria o Flávio Rangel 😉

    JF: adorei isso de que somos os cachorros dos nossos cachorros! eu sou mesmo. Minha ‘mancha” me condicionou a buscar a bola pra ela: ela só faz segurar na boca e me olhar. Daí eu vou lá, tiro a bola e jogo longe. Ela não busca. Eu busco. Uma amestradora e tanto, embora eu seja bem facinha…

    Santos Passos: também não sei se entendi bem: está me comparando a uma executiva incapaz?
    bom, no meu caso era só uma tartaruga…

    Abraços e bom ano pra todo mundo!!

  4. Estou como tu… também me enterneço com cães!!
    E que saudades tenho dos quase 17 anos em que fomos cúmplices, eu e a minha Micas…
    Não sei se serei capaz de a substituir.
    Tenho medo de não ser tão afectuoso com outro.

    Beijinhos

  5. Sempre gostei muito de cães e sempre tive. Até me mudar pra Itália e viver em apartamento: acho maldade ter cão em ambiente fechado. Na falta, me ponho a latir.

    Peixes, galinhas, porquinhos e outros animais, só fritos ou assados.

    :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *