minha neta de quatro patas

Standard

Tenho duas cachorras. A mais velha adotou a mais nova. A mais velha é pequena, bem pequena. A mais nova é grande, parece uma border . Quando a mais nova se excede nas brincadeiras, a mais velha olha feio. E basta isso pra outra se abaixar até o chão, mais não descendo porque ela não consegue escavar o quintal. Não há rosnados, não há necessidade de mostrar os dentes. É olho no olho. Só.

Estes dias que minha filha precisou viajar, deixou aqui em casa a cachorra dela. Uma vira lata como as minhas, mas totalmente diferente. Em matéria de tamanho, está no meio. Não late de jeito nenhum. Se uma vez na vida eu não tivesse ouvido um latido dela, diria que ela é muda. Mas não é. É só quieta.

Carentona como as minhas e carinhosa, vem me abraçar. E se enrosca, se esfrega, busca minhas mãos.

E tudo muda. Eis que a mais velha decide que não vale a pena dar bola pra visita e a do meio decide que tem que disputar quem é mais carinhosa comigo, quem me merece mais carinhos.

E agora está assim: eu não consigo nem ir ao quintal que sou assediada pelas duas.

Mas eu gosto.

Quem é que não gosta de ser disputado e acarinhado?

E, finalmente, me vejo avó. Minhas cachorras são minhas filhas caninas e pra minha filha a cachorra dela também é da família.

Então, se a coisa estiver certa, filha de filha é neta!

minha “neta” à esquerda e minha “filha” à direita. Uma longa e reconhecida estirpe de vira-latas.

3 thoughts on “minha neta de quatro patas

  1. Nina

    Ai que gracinha de post! Não preciso dizer que minha “filha” mijou de novo no tapete da sala, né? Mas é uma mimada mesmo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *