impaciente, eu?

Standard

Ser impaciente para muitos é um defeito. Mas se você pensar bem, bem mesmo, a impaciência em si é mais decorrência do que defeito.

Decorrência da urgência da nossa vida.

Não, não falo de pressa. Falo de urgência mesmo.

A vida é muito curta. Você nasce e quando menos espera já está andando e falando e já estão te cobrando coisas como andar sem cair, não correr, não falar muito nem falar bobagem.

Dali a um pouquinho mais você sai da escola e urge arranjar emprego. Sobreviver. Acumular. Prover. Se sobrar algum, dividir. Você nem sabe direito ainda do que precisa e já tem um monte de gente no cangote dando ordens e prazos. Tem que fazer isso pra ontem, tem que ser assim e assado, olhe a cabeça na lua…

Um poucochinho mais e você se aposenta – se não aconteceu nenhum acidente de percurso que tenha te feito ir desta para alguma outra que nem sei o que é, quanto mais se será melhor- e aí você pensa: é agora!! Agora vou fazer tudo aquilo que não deu tempo, que não pude, que nem experimentei!

Daí você, se tiver alguma condição financeira, tenta.

Mas são tantas coisas…por onde começar?

Você passa noites sem dormir pensando nas tais prioridades, na urgência da vida, nos quefazeres que ainda sobraram, no condomínio, no plano de saúde, no custo de vida e na droga de governo e aí, quando quase chegou a alguma conclusão….

Tudo dói. Respirar dói. Músculos que você não sabia que existiam e muito menos onde ficavam, doem. As coisas fazem crecs e crocs e não, você não acha graça nenhuma quando falam que você é gostosa e crocante.

Aí você percebe que se não tem chefe no cangote tem a senhora aquela da foice. E urge.

E urge. E urge.

E daí vem algum babaca qualquer que te diz pra ser zen, pra levar a vida devagar, pra não ter pressa.

Eu não tenho pressa. Tenho urgências.

Eu não sou impaciente. A vida é que é curta.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *