coisas sem muito sentido

Standard

Nunca acreditei muito em conflito de gerações.

Eu vivi e vivo inúmeros conflitos não necessariamente geracionais. Muitas vezes são dentro da minha mesma geração. Por vezes são entre gerações diferentes, como minha relações com crianças pequenas. Mas não é por serem de gerações diferentes. É por serem pequenas mesmo. Quando crescem um pouco, o suficiente pra dialogar, aí o conflito costuma acabar.

Em todo caso, isso de geração existe pras coisas que estão no mundo, como diria o Paulinho e só quem é da minha geração saberá com certeza de qual Paulinho falo.

Eu nunca assisti isso de Game of Thrones. Nem assisto séries, que não tenho paciência. Uso bastante computador mas não tenho celular. Faço crochê e tricô mas nunca pintei as unhas.

Sou viciada em leite e fumei dos 12 aos 50 anos.

Sou capaz de comer chinchulin e amar e não ponho ostra na boca nem sob tortura.

Essas coisas são ligadas a determinadas idade algumas, outras acho que são bem pessoais mesmo. Mas me identifico pouco com meu padrão geracional.

Adoro dançar, é verdade, mas nem só de tango eu vivo. Amo hip-hop, street dance, grafites. E sou capaz de ficar horas olhando a meninada do skate. Me sinto bem nas milongas e me sinto bem nas quebradas.

São coisas de geração? Sei lá. Em casa havia várias gerações e várias nacionalidades. Eu transitava legal por elas.

Pensando bem, gente, quando é legal, é muito bom, independente de geração.

Mas eu gosto também de cachorros, gatos, porquinhos da índia, ursos,camelos e corujas.

Tá bom, de peixe não.

Será geracional?

P1040773

Essa foto também é assim. Sem muito sentido. Mas eu vi, gostei e fotografei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *