caminhantes, não há caminhos

Standard
Caminante, son tus huellas
el camino y nada más;
Caminante, no hay camino,
se hace camino al andar.
Al andar se hace el camino,
y al volver la vista atrás
se ve la senda que nunca
se ha de volver a pisar.
Caminante no hay camino
sino estelas en la mar.      

Antonio Machado

Fala-se em divisão. Em discursos de ódio nas redes sociais. Em linchamentos virtuais e até reais.

Fala-se em lutar pelo fim da corrupção.

Quem não quer o fim da corrupção? Não conheço ninguém que a defenda ou mesmo que a releve. Hoje todos parecem ser contra a corrupção desde criancinhas.

Não acho que a divisão por si só seja um mal. Afinal, corintiana que sou e isso sim, desde criancinha, nunca me incomodei com outros times e sua existência. Atéia que sou desde muito tempo, nunca me incomodei nem quis abolir a religião de ninguém, mesmo quando professava – e é essa a palavra mesmo – o marxismo leninismo. O Estado tem que ser laico, não as pessoas, embora acho que seria melhor que elas fossem. Mas é pessoal a escolha.

Agora ver esses discursos de “quem é brasileiro vai em tal ou qual protesto”, ou “quem é contra a corrupção tem que fazer isto ou aquilo”é de doer.

Política é, acima de tudo, um modo de agir frente aos acontecimentos da vida. É fazer escolhas, o que implica em diversidade de opiniões e de caminhos. Se soubéssemos de antemão o correto, nada mais haveria a fazer. Só seguir em frente, rotineiramente. Mas existem as nuances. Existem os fins e os meios. Existem as companhias. Existem as formas de se chegar a isto ou aquilo.

Eu quero chegar naquilo que acredito com as mãos limpas. Dormindo em paz. Respondendo pelos meus atos. Aceitando meus erros.

Se as pessoas seguem estes ou aqueles caminhos, quero estar com estas ou aquelas pessoas. E buscar sempre.

Batam panelas, se assim o desejarem. Batam palmas para quem for de palmas e apupos para quem for de apupos. Sabendo que quem é apupado hoje pode ser aplaudido amanhã. Uma certeza, dentre as poucas que se tem, é que os rios correm. E a água que passa aqui hoje não é a mesma que passou aqui ontem e bla,bla,bla, mas é fato.

Não acho que todo mundo deva se unir em todas as lutas da mesma forma. Se assim fosse não haveria partidos políticos, nem times, nem religiões, nem tango nem samba.

Existe tudo isso. E gente que gosta e apóia tudo isso junto, alguma coisa em particular ou mesmo nada. Livre arbítrio é bom e eu adoro.

Menos manada. Menos pensamentos únicos. Mais leitura e humildade.

Será que é desejar muito ou será talvez pedir pouco?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *